Alfabetizar e Politizar. Angicos, 50 anos depois

Moacir Gadotti

Resumen


Este trabalho não se foca na figura de Paulo Freire no contexto da América Latina ou da pedagogia internacional. O artigo apresenta uma síntese da experiência política de alfabetização desenvolvida por Freire en Angicos (Brasil) e questiona o que Freire aprendeu com ela. Diversas perguntas são desenvolvidas neste trabalho: como Freire conseguiu consolidar seu modelo de ensino como uma ciência social baseado na hermenêutica crítica? Como o pensamento de Freire evoluiu de uma teoría da reprodução social e cultural, olhando em particular para o papel da educação? E, como logo Freire desenvolveu uma psicologia crítica e social para analizar a dominação e o desenvolvimento do sujeito pedagógico? Freire tendo sido inspirado pela extraordinária experiência política e pedagógica de Angicos e pela sua práctica política pedagógica, entendeu a praxis como uma aprendizagem coletiva. Nas conclusões, o autor analisa duas das maiores obsessões de Freire: a relação entre a democracia, cidadania e educação e a educação e a educação como ato ético postcolonial de transformação social.

Recibido: 30/04/2013 / Aceptado: 18/09/2013

Cómo referenciar este artículo

Gadotti, M. (2014). Alfabetizar e Politizar. Angicos, 50 anos depois. Foro de Educación, 12(16), pp. 51-70. doi: http://dx.doi.org/10.14516/fde.2014.012.016.002


Palabras clave


alfabetização; experiência de Angicos; Educação de adultos; Paulo Freire; América Latina

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.14516/fde.2014.012.016.002

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




e-ISSN: 1698-7802

DOI prefix: 10.14516/fde

URL: www.forodeeducacion.com

FahrenHouse: Salamanca, España 

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 3.0 España.