Religiões e religiosidade: o desafio de conhecer e reconhecer o outro

Sonia Kramer, Joseph Edelheit

Resumen


Discursos que valorizam a pluralidade religiosa convivem, em vários contextos, com ações de humilhação, exclusão, violência e tentativa de eliminação de grupos religiosos. Comprometido com tais questões, este texto analisa o desconhecimento que existe sobre as religiões, mesmo quando há convivência entre as pessoas, ressalta a urgência deste reconhecimento e discute o papel que deveria ser exercido pela escola. O primeiro item apresenta interações entre professores e alunos em diferentes instituições de Ensino Superior no Brasil e nos Estados Unidos. Essas situações expressam ora desconhecimento e dificuldade de aceitar o outro, ora reconhecimento da religião do outro como tendo igual valor, espiritualidade e relevância. O segundo item traz dois filósofos cuja obra tem importante impacto na produção acadêmica, nos movimentos sociais e em uma educação concebida como construção de comunidade: Martin Buber, sua concepção de religião e religiosidade e a compreensão do reconhecimento do outro e sua alteridade como engajamento responsável, ato ético singular; e Abraham Heschel, sua visão do homem, sua paixão pela verdade e a procura humana de Deus. A análise dos seus textos convida a trazer Paulo Freire. O terceiro item reflete sobre o que pode ser feito na escola, em especial na formação. E como educar os educadores? Como construir diálogo autêntico? Como aceitar e educar o ser humano como pessoa (mensch), tecendo o entre nós e os outros, confiando na humanidade do homem, no vínculo e no diálogo interreligioso? 


Palabras clave


religião; diálogo; Martin Buber; Abraham Heschel

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Assis, M. (1998). A igreja do diabo. In Contos/Uma Antologia [v II] (pp. 11-19). São Paulo: Companhia das Letras.

Bakhtin, M. (Voloshinov) (1988). Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec.

Bakhtin, M. (1992). Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

Bartholo, Jr. R. (2001). Eu e você: Martin Buber presença palavra. Rio de Janeiro: Garamond.

Buber, M. (1952). The Eclipse of God: Studies in the Relation Between Religion and Philosophy [Original em espanhol; citações traduzidas pelos autores]. New York: Harper and Row Publishers.

Buber, M. (1974). Eu e Tu. São Paulo: Moraes.

Buber, M. (2004). El caminho del ser humano y otros escritos [Original em espanhol; citações traduzidas pelos autores]. Salamanca: Kadmos.

Buber, M. (2007). O socialismo utópico. São Paulo: Perspectiva.

Buber, M. (2009). Do diálogo e do dialógico. São Paulo: Perspectiva.

Buber, M. (2008). Sobre Comunidade. Campinas: Perspectiva.

Coquet, E. (Org). (1998). Anne Frank: uma história para hoje. Governo Civil de Braga –Braga: Barbosa e Xavier Ltda Artes Gráficas.

Corsaro, W. (1985). Friendship and peer culture in the early years. Norwood: Ablex.

Lendas Dos Orixás. Lendas em Cartão Postal. Belo Horizonte: Autêntica.

Freire, P. (1979). Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1989). A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados – Cortez.

Freire, P. (1992). Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra.

Goes, A. (2011). Ayeka. Posfácio. In Buber, M. O. (Ed.), O caminho do homem segundo o ensinamento chassídico (pp. 51-56). São Paulo: Realizações.

Heschel, A. J. (1963). Religion and race. In The U.S.Oratory Project Voices of Democracy [Original em inglês; citações traduzidas pelos autores]. Consultado em: http://voicesofdemocracy.umd.edu/heschel-religion-and-race-speech-text

Heschel, A. J. (1972). Man is Not Alone [Original em inglês; citações traduzidas pelos autores]. New York: Farrar, Straus and Giroux.

Heschel, A. J. (1991). No religion is an island. In Kasimow, H., & Sherwin, B. L. (Eds.), Abraham Joshua Heschel and interreligious dialogue [Original em inglês; as citações foram traduzidas pelos autores] (pp. 3-22). Maryknoll: Orbis Books. Consultado em https://www.cs.auckland.ac.nz/~alan/chaplain/Heschel.html.

Heschel, A. J. (2002). O último dos profetas. São Paulo: Manole.

Kramer, S. (2010). Infância, educação e critica da cultura m Walter Benjamin. In Garcia, R. L. (Org.), Diálogos Cotidianos [v. 1] (pp. 187-194). Petrópolis: DP et Alli.

Kramer, S. (2016). Trajetórias Judaicas no Rio de Janeiro. Museu de Arte do Rio/MAR.

Pena, A., Nunes, M. F., & Kramer, S. (2017). Formação humana, visão de mundo, diálogo e educação: a atualidade de Paulo Freire e Martin Buber. In UFMG, Educação em Revista (no prelo).

Supreme Court of the United States (1954). Brown v. The Board of Education-Topeka [Original em inglês; citações traduzidas pelos autores]. Consultado em: http://www.nationalcenter.org/brown.html

Scholem, G. (1994). A concepção de Martin Buber do Judaísmo. In Scholem, G. (Ed.), O Golem, Benjamin, Buber e outros justos: Judaica I (pp. 129-180). Campinas: Perspectiva.

Zuben, N. (1974). Introdução. In Buber, M. (Ed.), Eu e Tu (pp. I-LXXIII). São Paulo: Moraes.




DOI: http://dx.doi.org/10.14516/fde.592

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




e-ISSN: 1698-7802

DOI prefix: 10.14516/fde

URL: www.forodeeducacion.com

FahrenHouse: Salamanca, España 

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 3.0 España.